1984 – A morte de Joaquim Agostinho

“Volta à França vai parar em honra de Agostinho”, lia-se na primeira página do DN. No interior, um relato da cunhada: “Não teve assistência nenhuma. O médico só cá vinha de manhã e à noite. Se fosse para o estrangeiro, teria sido diferente, havia possibilidade de ser salvo.”

Joaquim Agostinho

Joaquim Agostinho

Na 5.ª etapa da Volta ao Algarve em bicicleta, em Quarteira, a 30 de abril de 1984, quando um cão se atravessou no seu caminho, provocou a queda de Joaquim Agostinho. A muito custo, ainda terminou a etapa. Mas as dores persistentes na cabeça assustaram o massagista Francisco Silva que o levou ao hospital de Loulé, onde o médico da urgência estava doente. Seguiu então para Faro, mas como a unidade algarvia não tinha serviço de neurocirurgia teve de ser transportado de ambulância para Lisboa.

Perto de Alcácer do Sal, entrou em coma antes de chegar ao Hospital da CUF, em Lisboa, onde foi operado. Mas a 10 de maio de 1984 viria a morrer naquela unidade hospitalar, não sobrevivendo a um hematoma epidural.

Portugal chorou a morte de um dos seus melhores atletas de sempre, vencedor de três Voltas a Portugal (1970, 1971 e 1972) com a camisola do Sporting. Na Volta à França, venceu quatro etapas e terminou em terceiro da geral em duas ocasiões (1978 e 1979), e ainda hoje tem um busto de bronze na 14.ª curva no Alpe d’Huez. Ganhou também as voltas a Portugal em 1969 e 1973, mas seria desclassificado por doping. NUNO FERNANDES

Deixe o seu comentário