Como viveu Portugal a morte de Salazar

O DIA EM QUE O DN CONTOU: Ao meio-dia de 27 de julho de 1970, uma hora depois de ter sido oficialmente anunciada a morte de António Oliveira Salazar, o DN publicava uma edição especial sobre o ex-primeiro–ministro de Portugal, onde se destaca uma biografia onde a vida do homem e do País quase se confundem. Desde essa segunda-feira até ao dia do funeral, na quinta-feira, o jornal dedica dezenas de páginas ao acontecimento, em muitas das quais apenas existem fotografias.

Oliveira Salazar não participa no golpe militar de 28 de maio de 1926 que dá origem ao Estado Novo. Mas ele é, sem dúvida, o rosto desse regime político. Ele encarna o regime e morre antes da sua queda. Chamado em 1926 para a pasta das Finanças, Salazar demite-se cinco dias depois. Em 1928 regressa e inicia uma lenta e segura caminhada para o poder. Em 1930 cria a União Nacional e em 1933 é aprovada por referendo a Constituição que Salazar redige com a ajuda de técnicos e que dura até 1974 quando cai o regime. Em 1936, é criada a Mocidade Portuguesa, um instrumento do Estado Novo.

Oliveira Salazar não participa no golpe militar de 28 de maio de 1926 que dá origem ao Estado Novo. Mas ele é, sem dúvida, o rosto desse regime político. Ele encarna o regime e morre antes da sua queda. Chamado em 1926 para a pasta das Finanças, Salazar demite-se cinco dias depois. Em 1928 regressa e inicia uma lenta e segura caminhada para o poder. Em 1930 cria a União Nacional e em 1933 é aprovada por referendo a Constituição que Salazar redige com a ajuda de técnicos e que dura até 1974 quando cai o regime. Em 1936, é criada a Mocidade Portuguesa, um instrumento do Estado Novo.

“A notícia já não surpreendeu o País. Durante quase dois anos o Presidente Salazar lutou contra a morte. A doença gravíssima que o prostrou deparou com a resistência invulgar do grande português. Mas esta manhã esgotavam-se todos os recursos da medicina e deixou de pulsar o coração de um dos maiores portugueses da nossa história”, afirmava o Diário de Notícias na primeira página da sua edição especial de 27 de julho de 1970, dia da morte de Oliveira Salazar.

Salazar, na sequência da queda que sofrera a 3 de agosto de 1968 no Forte de Santo António do Estoril – e que esconde a toda a gente – é objeto de uma intervenção cirúrgica mais de um mês depois. Tarde de mais. A 27 de setembro, Salazar é afastado do Governo, sem disso dar conta. Aliás, tudo foi feito para que o político que governou durante quatro décadas não percebesse que já nada podia fazer pelo País, que as decisões já não lhe pertenciam. Agora, ocupava a sua cadeira aquele que muitos consideravam o seu delfim: o professor Marcello Caetano.

A morte de Salazar, portanto, não surpreendeu ninguém. Era uma notícia esperada. Talvez por isso, uma hora após ser conhecida oficialmente a morte do ex-primeiro-ministro, o DN colocava nas bancas uma edição especial que tem como título de capa “Portugal está de Luto/Morreu o Presidente Salazar” e em pós-título afirma-se que “Esta manhã, às 9e 15 deixou de viver um dos mais ínclitos portugueses da História de Portugal”. Estava dado o mote. De facto, todos os textos sobre a morte e o funeral de Salazar, sobre a sua vida e ação, são escritos num tom de tal modo apologético, só compreensível pela época que então se vivia.

Depois, é dada aos leitores uma cronologia do que aconteceu naquela manhã em São Bento, cujos “dois grandes portões verdes da residência começaram a abrir-se, quase de minuto a minuto, a partir das 09.30. Até ao princípio da tarde, o pequeno parque interior, de acesso à porta da casa, iria estar permanentemente pejado de automóveis”.

Disfarçou-se de ajudante do escultor que fez a máscara de Salazar. Nos anos 1970 não havia a prática de os jornalistas do DN assinarem os seus trabalhos. Em coberturas de eventos especiais, como a morte de Salazar, são publicados os nomes de quem participou nos trabalhos. Mas João Falcato assinou o seu artigo/testemunho. Disfarçou-se de ajudante do escultor António Duarte que fez a máscara de Salazar pensando que um dia diria: “Vi modelar a máscara histórica de Salazar.” Mas, como ele conta, não conseguiu ficar “junto ao leito em que jaziam os restos mortais daquele cuja vitalidade fora finalmente vencida”. A emoção dominou-o. E ele saiu sem ver “o rosto de Salazar afogado na massa que há-de dar-nos um arremedo dos seus traços”.

Disfarçou-se de ajudante do escultor que fez a máscara de Salazar. Nos anos 1970 não havia a prática de os jornalistas do DN assinarem os seus trabalhos. Em coberturas de eventos especiais, como a morte de Salazar, são publicados os nomes de quem participou nos trabalhos. Mas João Falcato assinou o seu artigo/testemunho. Disfarçou-se de ajudante do escultor António Duarte que fez a máscara de Salazar pensando que um dia diria: “Vi modelar a máscara histórica de Salazar.” Mas, como ele conta, não conseguiu ficar “junto ao leito em que jaziam os restos mortais daquele cuja vitalidade fora finalmente vencida”. A emoção dominou-o. E ele saiu sem ver “o rosto de Salazar afogado na massa que há-de dar-nos um arremedo dos seus traços”.

Conta o DN que todos os responsáveis compareceram perante os restos mortais de Salazar, exceção feita ao chefe de Estado, Américo Tomás, que se encontrava de visita a África e se fez representar nesse dia pela filha e pelos netos.

Nas seis páginas interiores, que têm todas como título principal “A vida de Salazar na vida do País”, é dada aos leitores uma biografia política do ex-governante, onde a vida do homem se confunde com a do País e vice-versa. Todas as páginas são ilustradas com fotografias de momentos da vida do político, e duas páginas apenas contêm fotografias.

No dia seguinte – 28 de julho -, o DN anuncia na sua capa que 15 das suas 32 páginas são dedicadas ao “falecimento de Salazar”. E que no dia seguinte haverá um editorial de Augusto de Castro com o título “Quarenta anos de história falarão por ele”. Na capa ainda duas fotografias de Salazar: uma sentado à sua secretária de trabalho e outra em câmara ardente.

Ainda com chamada de primeira página, a declaração de Marcello Caetano sobre Salazar: “ Vigiou noites intermináveis , silenciosamente, sem que o povo adivinhasse sequer os perigos que corria.” E o início de um artigo de Paulo Cunha, intitulado “Príncipe Perfeito”, em que Salazar é comparado ao rei D. João II.

É ainda noticiada na capa a trasladação dos restos mortais de Salazar de São Bento para os Jerónimos e que o funeral se realiza na quinta-feira (30 de julho) para o cemitério de Santa Comba Dão. Nesse dia, dia de luto nacional, “estarão encerrados todos os estabelecimentos públicos e suspensos os espectáculos” mas “o serviço de exames não será interrompido”.

Nas páginas interiores dava-se conta da “tristeza nacional” pela morte de Salazar e dos inúmeros telegramas de condolências que chegavam do estrangeiro, entre eles o de Isabel II de Inglaterra e do Generalíssimo Franco de Espanha. E do Papa Paulo VI, entre muitos outros.

No dia 29 de junho, na capa surge um longo e já anunciado editorial –  três colunas a toda a altura da página.É exaustiva a cobertura do velório de dois dias nos Jerónimos e do funeral. Mais de cem mil pessoas, afirma-se, terão passado junto à urna de Salazar.

No dia 31, o DN relata a última viagem de Salazar – dos Jerónimos até àsua terra natal onde, “como havia manifestado em vida”, foi sepultado em campa rasa junto dos seus pais. Uma viagem acompanhada por milhares de pessoas, onde não faltou a emoção, principalmente de todos aqueles que nasceram e cresceram ouvindo o nome de Salazar, e como ele foi capaz de nos manter “fora de duas guerras, a de Espanha para onde nos queriam arrastar  e a II Guerra Mundial”.

É também nesse dia que surgem na capa do DN os nomes dos jornalistas responsáveis pelas reportagens – Adelino Alves, João Salvado, Carlos Pinto Coelho e Carlos Pina. As fotografias que nesses dias encheram o jornal foram de Alberto Santos e Acácio Franco.

LUMENA RAPOSO

Existem 101 comentários

  1. Chico Daqui

    Naquela altura o DN ainda escrevia bom português, mas hoje, com a adesão ao famigerado Acordo Luso-Brasuca, é uma desgraça. Viva Salazar !

    1. Judite Sousa

      Mentira! A maioria dos portugueses vivia na miséria e os ricos ficavam cada vez mais ricos, como as famílias de banqueiros. Este homem era um idiota, BURRO sem qualquer visão de futuro. Era um ATRASADO!!!!

      1. Manuel de Albuquerque

        Você deveria viver certamente na miséria…. Pare de criticar Salazar. Sempre houve pobreza, quer na ditadura, quer na Monarquia, quer nos dias de hoje. O que é certo é que naquele tempo tinha-mos um grande poder de riqueza, coisa que hoje, certamente, não temos. Não estava-mos dependentes do estrangeiros, hoje estamos. Você deve ser daqueles comunas nojentos que esteve com a cabeça enfiada na areia e só a levantou quando fizeram o 25 de Abril. Ganhe vida! Quem afirma que Salazar não dos melhores portugueses de sempre tem porcaria na cabeça e não pode ser considerado português! Indo contra Salazar é ir contra a afirmação de Portugal no mundo. Pessoas como você metem nojo. Mais não digo.

        1. Katherine

          O que parece é que nas escolas ensinavam um português muito pobre, pois o “mos” não se separa! Os pobres à porta dos meus pais eram aos montes; as crianças na escola todos rotos e descalços! Enfim …

  2. Dr Feelgood

    Quase 300 anos após Pombal surgiu o ÚNICO Português capaz de desenvolver e aglutinar o Império e relançar o orgulho nacional. Não foi perfeito? Ninguém é. Ainda está por nascer quem faça melhor. Talvez daqui a 300 anos.

  3. Anti-Botas

    Um dos grandes responsáveis pela miséria e atraso económico e social de Portugal a par de Cavaco Silva. Dois cancros no destino da nação.
    Não roubava mas deixava roubar. Gostava de meninas em tenra idade. Tinha para o país uma concepção retrogada e miserabilista de mercearia de esquina.
    Pagou a dívida à custa da miséria colectiva. Nada que os seus atuais seguidores não tentem fazer com muito menos habilidade.
    Ficou na história mas passou ao lado da história. Foi responsável por milhares de mortos, pela incultura de um povo, pela emigração de todo o povo, pela opressão. Que a sua alma não tenha paz.

    1. Belchior

      Talvez prefiras o PREC e o TRAIDOR Cunhal, que passava a vida em Moscovo a lamber o Kuu dos soviéticos!

    2. Sousa

      Fala daquilo que não sabe, vê-se logo que é comunista, tenho pena que não saiba diferênciar as duas épocas, gostaria de ver estes politicos de meia tigela a governar em tempo de guerra (2ª grande guerra) tenho quase a certeza que se vendiam a Hitler, mas o Grande Salazar, além de avisar o povo que iriam passar dificuldades, prometeu-lhes a paz, e isso foi conseguido, sei e aceito que foram cometidos erros, fala da emigração, e hoje o que acontece, fala da opressão, e hoje… certamente feita de uma maneira mais subtil, (tapar os olhos ao povinho), diz que foi”responsável por milhares de mortos”, a onde ?, defendemos o que era nosso, se não sabe, os portugueses começaram a explorar a costa da África em 1419, descobrimos a Madeira por sorte e ficámos com ela até hoje, outros países Europeus ainda continuam com as suas colónias e ninguém diz nada, pois, é que na altura havia interesses internacionais, como os EUA e Rússia, como sabe a onde há petróleo os americanos metem o dedo. Mas como o texto vai longo e não tenho vontade de dar uma lição de história, dava um conselho, antes de comentar qualquer coisa convém que deixe as suas convicções politicas de lado e leia um bocado da nossa história. E que um dia a sua alma tenha paz. (ao contrário de você, não desejo mal nenhum). Um bem Haja.

      1. Anti-Botas

        Não sejas idiota porque o tio Adolfo já morreu à muito tempo. Quanto a ser comunista ainda não eras nascido e já lutava contra eles. Nazis e Comunistas é tudo a mesma cambada, mais depressa se aliam uns aos outros que a quem defenda a democracia.
        E desde quando é que África, a Ásia e outras terreolas eram nossas? Antes de lá chegarmos aquilo não tinha ninguém? isso quer dizer que antes de sermos Portugal nada existia? a rapaziada do estado Islâmico afinal até tem razão, segundo a tua ideia estúpida, em querer fazer da península ibérica uma parte do califado.
        Vê se aprendes um pouco de história e só não ficas pela leitura do Mein Kampf.

        1. Sousa

          Tenho pena em saber que dos muitos anos que tem, ainda não consiga fazer um comentário construtivo e com um pouco de sabedoria, tenho pena e vergonha que ainda haja gente como o Sr. que além de não saber nada de nada, venha para aqui tentar mostrar que tem um pouquinho de inteligência, pelo que mostra no seu triste comentário, o tipo de personalidade e carácter que tem, é devido a gente com uma mentalidade mediocre que Portugal está como está. Mas como não sou como o sr. vou ajudá-lo a que compreenda uma questão.

          A tomada de Ceuta em 1415 e a descoberta das ilhas da Madeira em 1418 e dos Açores em 1427, territórios de colonização e exploração agropecuária, marcam o início da expansão territorial marítima portuguesa. Movidas de início pela busca de privilégios de fidalguia conquistados em batalha e, depois, pela iniciativa privada que buscava riqueza fora do território conseguindo-a nas prósperas capitanias dos arquipélagos da Madeira e dos Açores, as viagens prosseguiram pela costa africana, cada vez mais para sul.

          O Acto Colonial centralizador aprovado em 1930, durante a Ditadura Militar (1926-1933) que antecedeu o Estado Novo, re-definiu as formas de relacionamento entre a metrópole e as colónia, restringindo a já limitada autonomia financeira e administrativa.
          Desde 1926 as pessoas afectadas pelo Estatuto do indígena estiveram excluídas da categoria de cidadãos ao qual pertenciam os africanos integrados e os colonos europeus, até 1961.

          A partir de 1946, como forma política de evitar que Portugal fosse considerado uma potência colonial nos fóruns internacionais, e na esperança de preservar um Portugal intercontinental, o Estado Novo passou a designar as colónias por províncias d’além-mar ou províncias ultramarinas, considerando que esses territórios não eram colónias, mas sim parte integrante e inseparável de Portugal, como uma “Nação Multirracial e Pluricontinental.

          Sr. Anti-Botas, lei-a, mas leia-a muito antes de comentar, pois além de ser muito mal educado, ser mal instruido ainda pior é. fique-se com as suas grandes batalhas ou lutas que em nada serviu ou servirá.
          Sou Salazarista e sempre serei com muito orgulho, pois Homem que serviu Portugal como ele o fez merece todo a nossa admiração e respeito. Viva Portugal, Viva Salazar.

      2. David

        E o senhor se fosse tirar umas aulas de português e de história, se calhar ficava melhor educado em certas questões.

  4. Maria De Nogueira

    Era demasiado pequena para compreender a perda do Estadista. Se fosse hoje, fazia-lhe uma homenagem, pela seriedade e honradez. Motivo suficiente para ter a minha consideração. Não foi perfeito, mas no contexto da sua época foi o melhor que soube. Viveu para Portugal, hoje morreria por ele. Na actualidade não existe politico que lhe chegue aos pés. Viva Portugal!

    1. Nogueira

      Parabéns, pelo seu comentário lúcido e honesto. Eu tinha 42 anos, quando Salazar morreu… Marcelo Caetano, disse que tinha desaparecido um “génio”, e que “agora Portugal seria governado por um homem normal”… – mais ou menos isto. E assim foi. Só que, poucos anos mais tarde, alguns militares do QP, da Guiné – “que não queriam continuar a combater”, a designação não é minha -… despoletaram, por motivos salariais e de promoções, um “golpe de Estado”, logo um mês depois transformado numa “revolução”… E esse Portugal de Afonso Henriques, de Nun’Alvares, de Henrique (o”Navegador”), e de tantos outros “Heróis da Pátria”… começou a ser atraído pelo sorvedouro de um”buraco negro” da História – situação vertiginosa e irreversível em que hoje se encontra! Triste fado desta Pátria minha, onde os seus coveiros – cada vez mais numerosos – se arrogam por aí em “heróis”… Heróis da desgraça! Que futuro?!…

    2. Maria dos Anjos

      Honrramos a memória dum Grande homem António Oliveira Salazar Não foi perfeito ,mas foi amigo do seu Pais , nos livrou da guerra! Como ele dizia vos livro da guerra mas não da fome Estes snrs. que agora estão no poder olham para o bem deles. O Pais em segundo lugar Lamento não respeitarem a sua memória .Amigo dum pais com história PORTUGAL…Gosto muito do meu Pais !.. Mas agora vivemos inseguros com esta politica enganosa

  5. Fernando Santos

    O único (ate’ a’ data) português que soube lidar com os portugueses. Não se pode dar um dedo aquém de seguida quer a mão.
    No que toca a honestidade e patriotismo, bem…. nisso não se fala. Parece mal.

  6. paulo

    Um dos maiores criminosos da História de Portugal. A sua queda começou na Índia no dia 19/12/1961 quando o exército colonial foi derrotado pelo poderoso exército indiano ao serviço da maior democracia do mundo.

  7. Tóino

    Ditador provinciano que nunca visitou as colónias porque sabia que ali havia muita miséria. Felizmente os colonizados/escravizados pegaram em armas em 1961 e em 1974 já tinham ocorrido 10.000 mortes entre os soldadinhos de chumbo. Foi por isso que houve o bendito 25 de abril.

    1. jominas

      Que pena um desses soldadinhos não fosse o teu pai.
      Assim, não terias nascido e se calhar não vinhas aqui dizer mal de quem lutou por manter portugal unido.

  8. Luis Noronha

    SALAZAR foi o maior entre os maiores
    E,falando da sua honra e honestidade,veja o que nos cerca,desde a esquerda até a direita.
    Hoje somos os pedintes da Europa Comunitária
    Mas é disto que a maioria gosta,enfim………

    1. Judite Sousa

      Hoje somos os pedintes, melhor assim, porque com esse BURRO os portugueses viviam na miséria e sem liberdade! Estamos muito melhor assim!!!! Salazar NÂO ERA honrado nem honesto, deixou os ricos enriquecer e os restantes ficaram pobres e analfabetos!!!!!

      1. maria Jose Bronze

        Quando morreu SALAZAR eu tinha tinha eu 27 anos, nunca me senti oprimida, tinha trabalho, havia respeito tanto faz em casa, como nas escolas, etc.
        Hoje é muito pior, mas não é por ser este governo, porque desde 1974, todos os governos só tem delapidado o património que o SALAZAR cá deixou, não não roubou soube governar-nos, porque toda a casa que não é governada, afunda-se, que foi o que nos aconteceu.
        Actualmente vivemos com liberdade, mas que liberdade? não pudemos sair a noite de dia é mesma coisa, não querem trabalhar (alguns) querem roubar e, ainda tem direito de incersão social. Não há respeito pelos pais , não há respeito por ninguém. havia muito mais a dizer, mas não vale a pena para certas pessoas. MAS SOMOS LIVRES BASTA QUE POSSAMOS CHAMAR TODA A RAÇA DE NOMES AOS GOVERNANTES E FAZERMOS DISTURBIOS EM TODO O LADO SEM SERMOS CASTIGADOS.
        MAS EU DIGO VIVA SALAZAR, AGORA PARA ENDIREITAR ISTO NÃO ERA PRECISO UM MAS VÁRIOA SALAZARES.

  9. Luis Noronha

    Sr..Paulo

    A invasão do Estado Português da India foi no dia 18 de Dezembro de 1961 e não no dia 19 de Dezembro como afirma.
    Estava lá e vi a vergonha do nosso EXERCITO
    Salvou a nossa honra a Marinha e o aviso AFONSO DE ALBUQUERQUE,superiormente comandado por António da Cunha Aragão

  10. Eduardo Louro

    Ideologias à parte, e fazendo o cômputo geral, Salazar foi um Estadista. Para o bem e para o mal. Profundamente anti-comunista, talvez mais isso do que realmente fascista como Mussolini. Financeiramente, operou milagres na nossa depauperada economia (como já vem sendo hábito nos últimos séculos…), mas isso teve um impacto social enorme! A Guerra Colonial foi o seu calcanhar de Aquiles: percebeu-se a intenção, mas o isolacionismo de Portugal ter-se-ia de pagar, mais cedo ou mais tarde. Como pessoa, dizia quem o conhecia, ser uma pessoa introvertida, calculista e religioso por interesse, mas também era irascível e implacável com quem se lhe opunha, semeando mais ódios do que ternuras. Marcou Portugal. Seja lá como queiram interpretar esse marco, mas marcou.

  11. Lorna

    A libertação de Goa deu-se no dia 19/12/1961. Uns canecos noronhas foram expulsos por terem explorados o povo de Goa de braço dado com os estrangeiros que nos touxeram a pide e a inquisição. Dessa derrota nada resta em Portugal a não ser liberdade e progresso em Goa verdadeira terra indiana porque não fica no ALLgarve.

  12. nostálgico

    Nestes comentários não há sequer uma referencia á maior obra de SALAZAR que foi evitar a entrada de Portugal na segunda guerra mundial !!! este feito devia ser estudado em profundidade e detalhe !! lembro só que durante esse tempo timor foi invadido e ocupado por australianos e japoneses !!! e portugal recuperou o território e os Açores foram quase ocupados por Inglaterra e Americanos !! A habilidade do DR Oliveira Salazar em termos de diplomacia externa devia e será certamente estudada nos próximos milénios !!! Para mim será sempre SALAZAR A” A RAPOSA”

  13. Luis Noronha

    Porque será que os LORNAS não vivem em GOA?
    Será que já não conseguem comer o Arroz e Caril com as mãos e os pés,como é o costume lá?
    Razão tinha o Presidente Samora,em considerar a maioria dos goeses/canecos,uns autênticos CAMALEÕES.
    Toda a razão tinha ele

    1. M

      Deves ser caneco de Maputo…

      Salazar? criminoso! onde está o ouro? as pessoas que mandou matar e foram atiradas ao mar! alguns caixões anos mais tarde abertos com pedras…

  14. Mentes Abertas

    Reles vil Ditador! Que ardas para sempre no inferno! Condenaste á morte muitos Portugueses. Condenaste á fome muitos mais ainda. Mas acima de tudo condenaste todos os Portugueses e Portugal a ser o parente pobre da Europa. Hoje é dia de festa porque bateste a bota óh Botas! Ele tinha alguma coisa boa? Todos têm… o Hitler tratava muito bem cães da raça “pastor Alemão”…

  15. Luis Noronha

    Hoje somos uns pedintes da EUROPA graças à VISÃO estratégica do Xexé do Marocas,vulgo Mário Soares que no seu exilio de luxo em Paris,sabia decor a ementa diária dos melhores restaurantes da Cidade-Luz.
    Infelizmente é disto que a maioria do POVÃO gosta.
    E que dizer do OTELO SARAIVA DE CARVALHO que nos ESTADOS UNIDOS quer dar uma conferencias ( ele que nem falar sabe) a troco de dólares americanos?
    Ou quer ir para lá fazer uma sociedade com o CARLUCCI?

  16. Luis Noronha

    Ò MENTES ABERTAS que não se identifica.
    Realmente, um verdadeiro democrata era o Saramago que mal chegou ao Diário de Noticias,correu mais de 50 jornalistas por eles não serem COMUNISTAS.
    É disto que o Povão gosta

  17. Anti-Botas

    O Botas foi tanto o maior estadista de Portugal como o Hitler o da Alemanha.
    O Botas era inculto, ultrapassado, boçal, e regeu o país como se rege a botica da esquina. O seu “grande” feito de não ter entrado na II Guerra é treta, não entrou porque o amigo Franco não deixou e porque tal não convinha nem a Hitler, que teve tudo o que queria de Portugal, nem às potência aliadas na altura. O Botas foi um escroque e pau mandado de uns e outros até ser obrigado a ceder as Lages quando percebeu que os ventos sopravam a favor dos aliados. O Botas perdeu-se da história e julgava que estava ainda no tempo de d. Sebastião. Como este morreu por uma ideia de nação que já não era possível. Morreu como viveu, agarrado a uma cadeira, cercado de galinhas e da D. Maria. Grande estadista o tanas, mau, mesquinho e estúpido, responsével pelo nosso atraso cultural, industrial e comercial, só ligou a África quando os amigos americanos começaram a guerra colonial, até lá o desenvolvimento foi zero nas colónias e em Portugal. Pobretes e alegretes, Fado, Fátima e Futebol. Só quem não viveu naqueles tempos é que pode gostar deste homem pequenino.

    1. tiKazmiro

      ….este anti-botas cheira-me a um suposto major pederasta, que andava a semear cretinices na pagina do Dr. Salazar. Tenho quase a certeza que e’ ele. Pobre imbecil….

  18. Mentes Abertas

    Ó Luis Noronha. Eu não me identifico nem tenho de o fazer…Ou o SR. Já me quer impor regras? Eu não me indentifico mas uso sempre o mesmo Nik. E em relação ao facto de sermos o “parente pobre” da Europa. Se diz que o problema está com o Bochechas, ou tem menos de 20 anos ou tem andado distraido… Você não sabia que antes do 25 de Abril havia fome em Portugal? Não sabia que não tinhamos sistema de saude? Não sabia que a maioria da população não tinha maneira de fazer mais do que a 4ª classe? Não sabia que as pessoas não tinham direito a votar? Não sabia que havia censura? Não sabia que as pessoas não tinham direito sequer de se manifestar? Isse era culpa do bochechas? Ele tem culpa no cartório sim… mas destas não.

  19. Mentes Abertas

    Ó Luis Noronha, que raio tenho eu que ver com o que o Saramago fez no DN??? Se o fez é porque achou que o deveria fazer… Sabe quantos trabalhadores despediu até hoje o Passos e o Portas? Ou está a atacar o Saramago porque ele era comunista? O Saramago eu sei quem ele era, era prémio nobel da literatura, e não foram os comunisrtas que lhe deram o prémio. E você? quem é? Nobel de quê? E o Botas era nobel de quê? De mesquinhês e tacanhice?

    1. Belchior

      Não há coisa mais tacanha do que o comunismo! Tanto que ele desmoronou. Mas ainda há por aqui uns zombies sem rumo, com saudades do muro de Berlim…

  20. Belchior

    O PCP e a escumalha de esquerda queriam para Portugal a uma coisa bem pior do do que Salazar, um país atrasado, atrelado ao Kremlin, com o povinho a agitar bandeirinhas vermelhas da foice e do martelo. Com um pouco de sorte, estaríamos hoje um pouco melhor do que a Coreia do Norte ou a miserável Cuba.

  21. Mentes Abertas

    Ó Luis Noronha, eu espero que não sejas o Noronha de Almada, senão meu cão raivoso eu parto-te a boca toda… :o) Peace!

  22. Mentes Abertas

    Sim…. e queriam comer criancinhas ao pequeno almoço! Mas eram os fascistas que comiam o pequeno almoço das criancinhas que trabalhavam no campo e na industria.

    1. Belchior

      “Mentes abertas”??? Assim como as mentes dos que lêm o pasquim Avante? Deixe-me rir…EhEhEhEhEhEhEhEhEhEhEhEhEh

  23. Mentes Abertas

    Ó Luis Noronha, então o Samora é que tinha razão??? Cuidado com o Samora pois ele era muito mentiroso… era comunista…. :O) Ou o Samora e os comunistas só têm razão quando concordam contigo?

  24. Mentes Abertas

    Parece que ainda há por aqui uns zumbies á procura do Hitler e do Botas… Quando é que voltam para o buraco?

  25. Mentes Abertas

    Engraçado a Suiça também não entrou na 2ª guerra mundial…. secalhar foi o Salazar que negociou a coisa…. Mas e a parte da pobreza?

  26. béubéu

    qualquer papagaio com menos de 45 anos vem para aqui cagar sentenças sobre o Salazar sem saber do que estão a falar, pois como não viveram, ou se viveram eram crianças que não se apercebiam do mundo que os rodeava, vêm enaltecer o grande homem que foi o Salazar que livrou Portugal da guerra mas não falam do racionamento e fome que houve durante a mesma.

  27. leonel

    Pena que o saudosismo em excesso turve a vista a muita gente. Quem conheceu este país, e o vê agora e não consegue sentir as diferenças, só pode ter má vontade.
    Governar em ditadura é muito mais fácil do que em democracia. Não ter opositores, falsificar resultados de eleições e perseguir quem não estava de acordo com a governação não tem muito de nobre. Quanto ao império, vejam o que resta dele, e façam um pequeno exercício mental; E o que teria acontecido se em vez de uma guerra colonial que se arrastou por mais de uma década, se tivéssemos negociado atempadamente o direito à independência dos territórios onde provavelmente ganhariam todos? Vejam o que fizeram países como os ingleses entre outros, com maior poderio militar, e hoje comungam uma economia real que a todos favorece.

  28. Dr Feelgood

    A revitalização nacional foi um objectivo de todos os regimes desde o declínio que se iniciou no séc. XVI. Deste ponto de vista o Estado Novo foi o mais bem sucedido tendo em conta que o autoritarismo tinha raízes profundas em Portugal. O Estado Novo poderá ter alterado os modos de permanência no poder mas o objectivo de revitalização nacional era idêntico. Contrariando a tese da oposição no exílio segundo a qual o Estado era uma aberração recente, uma distorção peculiar da realidade do país, os factos sugeriram que alguns dos seus objectivos e métodos estavam profundamente enraízados em tradições anteriores a 1926. F.C.C. Egerton, um inglês observador de Portugal disse que a alma Lusa encerrava duas correntes opostas e ambivalentes – o siso, a capacidade ou a sabedoria de avaliar correctamente, ou a loucura, a ‘loucura heróica. Quando a loucura prevalecia no carácter nacional o país tornava-se instável e atormentado. O regime de Salazar restabelecera o equilíbrio entre estes dois traços pelo facto de oferecer a Portugal um sentimento novo e restaurado de orgulho nacional…….D. Wheeler.

    1. Dude

      os mesmos ingleses que violaram o acordo mais antigo em vigor sucessivamente para estabelecerem o seu império? os mesmos que nos impediram de unir Angola a Moçambique porque queriam um Império em África de Cairo à Cidade do Cabo?

  29. Zé Chunga

    Ganda Botas, pá, já bazaste há uma data de anos e ainda fazes mexer isto tudo! A gente vê cada coisa! Há cada comentário! Quantos destes salazaristas assumidos foram da PIDE? Ou bufo que fosse? Quantos malharam com o esqueleto no ultramar? Quantos foram maltratados pela PIDE? Salazar ganda português? Se calhar. Há quem o compare a Cavaco. Porquê? Porque Cavaco é outro ganda português? E Cunhal não foi? E o Marocas? Somos tramados para colar rótulos!

  30. LIBERTINO

    QUANDO O NAZI MORREU APARECEU ESTA QUADRA
    COM A QUAL EU CONCORDO:

    ALMA MÁ E RUIM QUE EMFIM PARTISTE
    TÃO TARDE DIZ O POVO JÁ CONTENTE
    QUE FIQUES NO INFERNO ETERNAMENTE
    QUE NENHUM PORTUGUÊS FICARÁ TRISTE.

  31. Maria De Nogueira

    Portugal precisa com toda a urgência de se encontrar com a sua identidade. Se para isso tiver que passar fome e ficar descalça, ainda assim me sentirei honrada. Não há maior valor que, preservar, dignificar e honrar a identidade de uma nação, ou morrer por ela. Hoje, Portugal já não e comunista. Não é socialista, não é fascista, e a sua democracia é questionável. E uma porção de terra (dita europeia) moralmente desnuada, eticamente minada por todos os lados, a contento de qualquer um. Só temos dois caminhos. Ou avançamos, ou avançamos.
    Para nenhum deles precisamos de Salazar. Que a sua memória descanse em paz.

  32. Eu ignorante me confesso

    Como ignorante que sou pergunto aqui quantos governos teve Portugal entre 1910 e 1926? Em que estado estava o país? Qual o seu estádio de desenvolvimento? Com 49 anos de idade dos quais 6 em Angola vi racismo do branco em relação ao negro como vi relações de amizade! Porque carga de água havia de ser Salazar a fazer a descolonização? Para desculpabilizar a tr@mpa que a fez e nos governa há 40 anos? Não se podia morrer na guerra por Angola mas pode-se morrer agora às mãos de meninos que querem sustentar vícios e nem trabalham procuram! A quem interessa o tráfico de droga e o lixo em que está a Justiça? Querem condenar Salazar condenem mas eu preocupo-me é com o agora…!

  33. Filipe

    ainda se vê tanto burro e tanto fascista atrasado mental…
    enfim…
    gostaria de vos ver a todos viver sem o mais fundamental dos direitos do homem… a LIBERDADE que esse carniceiro durante tantos anos nos tirou…
    Felizmente não vivi nessa triste época em que havia a brutalidade da PIDE, em que jovens eram enviados para uma guerra para tentat manter Países que não nos pertenciam…
    enfim… ainda o classificam como “o português”, o “último homem sério e honesto”… que anedota…
    Salazar… espero que estejas a arder bem lentamente no Inferno… junto dos teus compinchas (Franco, Mussolini, Hitler) etc… e que o Estaline tb esteja a chegar com um pau em chamas.

    1. Dr Feelgood

      Então se NÃO viveste, CALA-TE, palhaço!!!………..debita a cassete komuna lá em casa e desaparece daqui, pá!

      1. Filipe

        LOL… gostava de saber se te sentirias tão bem se tivesses uma agente da PIDE ai ao teu lado… a fezer-te festinhas…
        so encontro um único adjectivo para te descrever… TRISTE… mas vou fazer um esforço mental e pensar em outro adjectivo IGNORANTE…

        1. Dr Feelgood

          IGNORANTE é VOCÊ que não viveu naquela época e vem práki ” armado ” em esperto! Fora daki, seu komuno abejcto intoxicado!

          1. Filipe

            não vivi e ainda bem que não vivi… senão muito provavelmente teria a infelicidade de conhecer muitas pessoas burras que nem portas com duas palas tipo os burros incapazes de pensarem por elas próprias, como é o teu caso…
            de certeza que gostavas do tempo em que as pessoas com inteligência não podiam falar, porque se falavam tinham logo um possivel Chibo como tu deverias de ser naquele tempo a fazer queixas à PIDE.
            Sim, a Pide era amiga… lol… ao fim de tantos anos, como é que dejectos como tu ainda estão vivos??
            Sim, lutar no Ultramar, deve ter-te feito sentir mais homem não?? talvez fosse a arma na mão… fazia-te sentir homem? possivelmente não tinhas força noutro lado…
            enfim… defender aqueles co**nos… mentalidade pequenina!!
            MORTE ao fascismo… e Salazar… arde lentamente… brevemente ainda vais ter compinchas a fazerem-te companhia. aqui o Dr. Feelgood está mortinho para ir ter ctg…

          2. Dr Feelgood

            Você não passa dum palhaço. Fala apenas daquilo que ” ouviu dizer ” e lhe enfiaram pelo bucho abaixo. Mais valia ficar calado para não fazer figuras tristes próprias de formatados pelo ” partido “………e vá tratar por TÚ o gado que o rodeia, ouviu, seu miúdo ordinário?

          3. Filipe

            Caríssimo, se eu TE conhecesse de algúm lugar, poderia ou não ter respeito por TI… e caso tivesse algúm respeito por TI, poderia ou não tratar-TE por você… mas tendo em conta que não TE conheço nem TE quero conheçer, e tendo em conta que TE considero um porco fascista que nem escrever sabes… não me venhas com essas palhaçadas tristes… de TU e você e bla bla bla…

  34. Força, Coragem e Honra

    Lê-se por aqui muitos textos de pretensas mentes abertas e de outras mentes também igualmente cultas resultantes das longas sessões pedagógicas na Soeiro Pereira Gomes e não tiremos o mérito a essa enciclopédia que é a respectiva publicação Oficial. Mas sobre as «dezenas de milhares de mortos», sobre a fome, sobre o atraso, sem dúvida que a estupidez dessas mentes é um caso perdido. Em relação às tais mortes, recordo que em 1973 portanto no ano que antecedeu a farsa criminosa, o número de militares mortos foi de DEZASSETE e nem todos em combate. As Operações Militares de maior impacto eram realizadas por tropa Negra (grandes heróis) Angolanos, os Flechas. A escumalha que por aqui vomita, os termos são fortes eu sei mas estou farto de gente miserável, deveria saber que nos tais países de que são admiradores havia muito mais miséria como continua haver com milhares de milhões de seres humanos a viverem em condições sub- Humanas. Sobre desenvolvimento lembro aos filhos de p… comunistas que Angola em 1967 havia muitos milhares de crianças no Ensino e que a sua Economia crescia com valores superiores aos da China de hoje. Havia situações vergonhosas, claro que sim e eu nalgumas situações revoltei-me com actos, mas o que se passa hoje neste Portugal de Comunistas, Traidores e Cobardes para quem a conta bancária é a único que conta é demasiado execrável. Ainda hoje de manhã uma idosa nesta trampa de terra que é Rio de Mouro uma idosa foi atacada por MACACOS e agora está em perigo de vida. Para estes f.de p.que toda a droga do Mundo, toda a criminalidade, caia sobre os f. de p. dos seus descendentes, é um desejo piedoso que eu muito sinceramente desejo.

  35. Spartacus

    Festejei. Não é meu hábito comemorar a morte de ninguém, mas Salazar, que corporizava e corporiza ainda a maior parte das coisas que desprezo, foi uma excepção. Tinha 19 anos e, enquanto decorria o desfile fúnebre passado em directo na RTP, bebia umas cervejolas (bebia muito pouco e aguentava mal o álcool nessa altura) e petiscava uns túbaros de carneiro (eram a especialidade da casa) numa tasca fora de portas com um grupo de gente da mesma idade, alguns ligeiramente mais velhos. Caiu-me mal a festa. Fiquei doente. Mas que saudades tenho dessa bendita indisposição…!

    1. Filipe

      meu amigo… tb bebeira umas cervejolas se tivesse tido a honra de assistir à morte desse carniceiro…
      pena é que a ditatura não acabou aí… aposto que teriam sido lançados foguetes…

  36. josé carlos

    E eu que por um momento pensei que hoje era um dia de Julho! afinal estamos a 25/08/2014 e apesar de saber bem quem foi este senhorinho, continuo a não entender o por quê desta noticia. Será porque para o ano vão haver eleições que não existiam no verdadeiro sentido da palavra antes deste fascista “cair da cadeira”?

    1. josé carlos

      As sociedades evoluem o que podem mas com uma condição.Sem preconceitos Humanamente aceitáveis: porém, existem de facto correntes de pensamento que não evoluem em nenhum sentido e isso é muito lamentável do meu ponto de vista. não me falem em comunismo, socialismo ou outras correntes “pensadoras”, falem em JUSTIÇA Humana e Social e não mintam.

  37. aos bebados de estaline

    As diferenças entre Salazar e o comunismo são notórias. Pelo menos Salazar conseguiu impor a sua politica durante 40 anos. Os comunistas andaram a brincar ao PREC durante dois anos foram corridos e nunca mais governaram nada a não ser uma foice e um martelo enferrujado. Fracos. Ignóbis, incompetentes, etc,etc.
    Vão lá beber a vossa cerveja e comer os tomates que ainda vos restam.

    1. Filipe

      carissimo, isto não é a idade da pedra, onde “ou estas comigo, ou estas contra mim”…. lá por existirem pessoas que odeiam o salazar… não faz deles comunistas…
      se bem que o comunismo tenha um bom principio, há-de ser sempre uma Utopia.
      prova disso é a antiga união sovietica… e a coreia do norte… são todos uns deficientes—
      qualquer ditadura, salazarista, franquista, comunista… há-de ser sempre o que é… uma DITADURA!!!!!!!!
      e dizes que o “salazar conseguiu impor a sua politica durante 40 anos”… graças à brutal repressão, à pide, à censura… enfim…
      e ainda existe quem defenda aquela época… realmente deve ser um sonho viver assim…

  38. Lindo Filipe

    Oh lindo Filipe para que tu queres eleições? Para sermos enganados e elegermos a escumalh@ que nos tem governado de há 40 anos para cá? E, vai falar das tuas liberdades aos Diogos Andrades e Sousas que por aí há e os mídia vendidos a interesses vários tanto filtram! Cresce e aparece pá!

    1. Filipe

      meu amigo… ao menos temos todos a liberdade de lá por quem escolhemos.
      se escolhemos bem ou se escolhemos mal, isso já é outra coisa totalmente diferente…
      meu amigo, eu não preciso de crescer mt, pelos vistos ainda existe muita gente com saudades da época da velha senhora, e ainda existem muitos países a viver assim, ide passar neses sitios um ano ou dois e depois digam-me como foi…
      volto a dizer… viver sem kk tipo de liberdade deve ser uma sensação incrivel…
      Ser obrigado a ir para o ultramar como foi o meu pai + 3 irmãos dele, mais o meu sogro… deve ser um sonho ainda maior…
      e estar a combater por algo em que nenhum deles acreditava, (a defender algo que não nos pertencia) tb deve ter sido um espectáculo…

  39. Arriaga neles

    Não se zanguem uns com os outros. Vamos esquecer Salazar. Que tal refundar os ideais do MIRN? Que democracia é que o pode impedir? Só se vivemos em ditadura e não sabemos.

  40. Comandos 62

    Sempre houve famílias assim. Diziam que eram filhos de um Império mas não o queriam defender.

  41. Lindo Filipe

    Diz-me lá Filipe se o teu pai e os teus tios tão traumatizados com a guerra do Ultramar não aproveitaram para roer umas neguinhas ou ainda melhor umas molatinhas, não trouxeram uns diamantezinhos e melhor dos melhores não se reunem todos os anos cá para confraternizar com os ex-camaradas; deve ser para ajudar a esquecer a guerra! ISTO independentemente dos mortos e feridos que sei que os houve e espero que não tenha sido o caso! Deixa Salazar sossegadinho que não é ele que entalou o maís neste ultimos 40 anos que são muitas vidas! Cumprimentos

  42. Filipe

    felizmente voltaram todos vivos.
    o meu pai e o meu sogro tiveram a sorte de não darem um único tiro e voltarem sãos, quer fisicamente, quer mentalmente.
    já dois dos meus tios, n faço ideia do que passaram, mas que vieram mt mt apanhados e com sequelas a nivel mental que duram até hoje.
    mt provavelmente até posso ter irmãos e primos por lá… podia ir de férias que tinha lá casa.
    bem… um bem haja a todos de esquerda, de direita, … … de cima ou de baixo…

  43. jo

    Coitado, até na cova deve dar voltas, se conseguir ver o que os queridos e amados governantes a mando de uma suposta e encapoçada democracia fazem hoje ao nosso PORTUGAL

  44. J.J.JEREMIAS

    Não sou salazarista, mas acho que a escumalha de Abril não foi e nem é melhor do que ele! Na verdade e todos nós sabemos disso, o que os esquerdalhos queriam era uma ditadura do proletariado. Mas havia um Jaime Neves no caminho…

  45. A Peixeira do Bolhão

    Olha a sardinha fresquinha! Venha cá freguesa! Não vá à banca da minha vizinha, porque a sardinha dela é pior que a minha. A minha é sardinha da Costa e desta sardinha só come quem gosta.

  46. Maria De Nogueira

    Os meus cumprimentos para o Sr. “Nogueira” das 15.26. Muitos anos, saúde e longevidade é o que lhe desejo. Obrigado por nos lembrar de tão grandes heróis. No tempo de D. Afonso Henrique o país conquistou-se com a ajuda de peões que a pé caminhavam 200 e 300 km, junto ao Lidador que com 92 anos lutava pela conquista de terras de Portugal. Hoje, com metade da idade, riem-se, metem e destroem-no. Eles não sabem o que fazem…

  47. Jocarco

    Deixemo-los falar, aos espécies de comunóides armados em democratas, que nada conhecem daquilo que era civismo e viver em paz.
    Quando é que, nessa época víamos gangues a a atacar grupos de gente indefesa e famílias a passear com crianças de colo?
    Hoje grassa a pobreza de espírito, a tacanhez e a parolice.
    Nas ex-colónias é o que se vê. E falo por experiência própria, pois vivo numa delas. A ignorância governa e o novo-riquismo impera.
    Corrupção? Havia pois claro. E agora, não há?
    Quem não concordava ia para a choldra? E muito bem! Sempre ouvi dizer, “quem não está bem, mude-se”. Não gostavam, que fossem viver para outro lado.
    O Dr. Salazar tirou Portugal duma das maiores crises que já conhecemos e levou-nos, em poucos anos a um país respeitado com uma moeda forte e com reservas de ouro invejáveis, que foram desbaratadas pelos bandos de energúmenos pós 25 de Abril.
    Que venham muitos Salazares e que enfiem a cambada de trastes que proliferam neste país em novos Tarrafais e os deixem apodrecer.
    Viva Portugal

  48. joaquim cartario

    Vamos recuperar nossas colonias, pronto! Assim, voltamos a ser grande como na epoca do Salazar. Viu como é fácil.

    1. joaquim cartario

      Ok. Também concordo, vamos recrutar uns pares, dividir a tropa, uns invadindo a Africa e outros o Brasil. Imaginem ficar-mos com o petróleio de Angola e o pré-sal do Brasil? Ninguém mais vai trabalhar na corte.

  49. J.J.JEREMIAS

    Há dois tipos de comentaristas aqui (a maioria é claro!”: Os que que têm saudades do Salazar e os que choram a queda do Muro de Berlim e da URSS. Uns do 24 e outros do 25 de Abril!

  50. Maria De Nogueira

    Nesse caso, eu estou em minoria. Nem 24 nem 25. Não tenho qualquer interesse nas ex-colónias entregues oficialmente a partir 1822/25 a 1975. Nada daquilo nos pertence. Estão muito bem entregues à sua gente, aos seus rituais, costumes e tradições. Sejam Felizes. Depois do 25 de Abril, o que eu pretendo, é exactamente o mesmo para Portugal.

  51. G3

    Estava eu em Angola, em Gago Coutinho, quando a notícia da morte de Salazar nos foi dada. Foi recebida com grande alegria e nunca tinha visto os soldados beberem tanta cerveja. Foi uma festa até às tantas da noite.

  52. curioso

    Lembro-me do dia em que morreu Salazar. Já ninguém se lembrava dele. Estava um lindo dia de praia, e não ouvi uma pessoa falar no assunto. A maior parte dos comentaristas nem sequer viveu no tempo do Esteves. Deviam ter vivido!

  53. jose lucena pinto

    O abono de família, foi decretado em 1944
    Os primeiros bairros sociais, foram mandados construir pelo “botinhas” em 1933, para o povo trabalhador.
    A tuberculose, estava em 74 debelada, graças aos sanatórios, mandados construir pelo Homem de Santa Comba. Agora não existem porque…não há tuberculosos.
    A obrigatoriedade da BCG para quem estivesse no atendimento público. Agora: conseguimos apanhar sidas, hepatites, tuberculose etc.
    Já lá dizia o outro ” é a vida “

  54. SALAZAR

    AGRADECIMENTO : A todos os que não me condenam , embora como humano também cometi erros ; Fiz pela NAÇÃO PORTUGUESA , o melhor como cidadão honrado . Parei com a anarquia que existia naquele tempo , mantendo a PAZ entre os próprios PORTUGUESES . Tentei manter a pesada herança que os nossos GLORIOSOS ANTEPASSADOS nos tinham deixado ( as províncias ultramarinas ) , era difícil, e o pior veio quando os AMERICANOS e RUSSOS , para expandir a sua ganância colocaram os OLHOS nelas como futuro CELEIRO DO MUNDO . Enganaram-se ! Só conseguiram a sua destruição . Morreram muitos jovens nessas terras consideradas PORTUGUESAS , mas tentava encontrar uma passagem pacifica , mas não dispus do tempo . Essa passagem feita mais tarde , sem consciência ,resultou de muita miséria para PORTUGAL , e miséria e morte para os naturais dessas benditas terras ,que algumas delas ainda não encontraram a PAZ . PARA OS QUE ME CONDENAM : Já estão aprender com os governantes que me sucederam , TACANHOS , CORRUPTOS , BURROS A MENDIGAR E ESPERTOS A ROUBAR . Aos idealistas políticos ,esses coitados sempre existiram e só queriam era TACHO . Já não á FASCISMO ,COMUNISMO ,SOCIALISMO e DEMOCRACIA , mas sim TACHISTAS .

  55. Vitor Campos

    Foram dois dos melhores dias para Portugal e para os portugueses, os dias 03 de Agosto de 1968 e o dia 27 de Julho de 1970. O destino fez história e levou o abutre de vez do seio dos cidadãos deste país.
    Não era. nem foi e nem nunca será. o maior ou um dos maiores homens de entre os portugueses, mas sim o maior fascista, o maior torcinário. o pseudo-cristão, falso como a maioria dos católicos, o maior idiota das elites que nos dirigiu. Que a terra nunca lhe seja leve!

  56. Maria dos Anjos

    Todos erram!!!!!
    Salazar errou sim!!!
    Pergunto estamos melhor!!!
    Havia muita pobreza sim!!!
    Agora à pobreza, desemprego e falta de respeito!!!!
    Por isso todos erram!!!!

  57. lourenco

    que grandes mentalidades ha por ai, nao sou salazarista mas se fosse possivel ir ressuscita lo e traze lo de volta ao poder eu ia busca lo para que nos livrasse a todos os portugueses trabalhadores desta corja de malfeitores que tudo nos rouba, ate a esperanca de viver estes sem vergonha nos levam ja para nao falar dos nossos filhos que nao tem culpa nenhuma de terem nascido nesta terra sem futuro algum para eles, tenho vergonha de ser representado por esta cambada de imcompetentes e nao so.
    r vergonhoso termos que sair da nossa terra para ganhar a vida porque a unica coisa que estes gajos nos dao e fome e miseria ainda pior que no tempo do salazar
    eles comem tudo e nao nos deixam nada como dir4ia Zeca Afonso. So nos deixam vontade de nao voltar nunca mais a essa terra que eles fizeram so sua onde tudo roubam sem qualquer tipo de vergonha. viva Salazar

  58. vitor silva

    em 48 anos,arranjou 28.347$30,depositados num banco em Portugal e uma casa velha e sta comba,arranjem me um igual nascido do saque da abrilada….

  59. vitor silva

    o 25 abril,foi bem feito,mas faltou nom General Augusto Pnochet,para limpar a escumalha do Pais,tivemos um spinola que nao fez o trabalho completo como Pinochet no Chile,que hj nao se pode com portugal,pelo menos nao e internacionalmente considerado LIXO como nos.

  60. Ze trolha

    Bla blablablablablablablablannnnn. Trabalhar esta quieto isso nao se fez para mim sou filho, do sr dr.da mula russa. Cambada de parasitas ladroes raca desnaturada ciganadas, e o que sabem de melhor esta joldra. Vao trabalhar vagabundos so querem mama ser politicos, nao e profissao e um Obi.O corno do salazar nao morreu, estao agora no poleiro ele e seu capangas.Catolico, um corno so por interesses.Nada aqui fala das amizades que tinha com o Cereijeira? Para acabar os Salazares continuam desde que me lembro e ja sao a muitos anos mais de 80. So que agora dizem-se democratas, a putaque vospariu, a todos ciganos.

  61. jrocha

    O Sr Dr Professor António de Oliveira Salazar, para se falar com rigôr deste Grande Homem, é preciso conhecer como estava o País, quando este Sr chegou ao Poder. É preciso saber como este Sr chegou ao Poder. Nunca o quis, foi convidado e com muita pressão, até que acedeu ao convite. É preciso saber o que este Sr fez no País, Milhares de escolas, milhares de quilometros de estradas e Pontes, algumas já previstas há mais de 70anos atrás, tal como a grandiosa Ponte de Salazar, algumas Auto Estradas, dezenas de Barragens Hidroelétricas, Grandes Hospitais como Santa Maria em lisboa e São João no Porto entre outros, grandes Universidades, milhares de quilómetros em caminhos de Ferro. Tudo isto e muito mais, sem nunca pedir ajuda financeira ao Estrangeiro. É preciso conhecer como estava o País quando este Sr deixou o Poder. Quantos Milhões de Contos havia no Banco de Portugal? 200 Milhões, quantas Toneladas de Ouro havia no Banco de Portgal? 860 Toneladas de Ouro. E hoje 40 anos depois? Zero Euros, e apenas 340 toneladas de Ouro, porque as leis internacionais não permitem a sua venda. Senão, já lá não existia nem uma grama. E para alem disto tudo ainda temos mais uma Divida de 230 Mil Milhões de Euros para pagar. No tempo de Salazar tambem havia ricos, em todo o lado os há. Não enrriqueciam era de forma fraudulenta ou roubando directamente do Herário publico e as descaradas, Como sempre tem acontecido depois dele, Salazar. E com todas estas crises, que se inventam, para roubar a quem trabalha, em Portugal as grandes fotunas cresceram dois Mil Milhões de Euros, criaram-se Dez Mil Novos Milionários, à custa de quem? De 300mil novos pobres e miseráveis que apareceram em Portugal, Criados por quem? Pelos corruptos, incompetentes, desonestos, estes de quem o Sr Dr Salazar falava e está escrito há já mais de setenta anos atrás. Que viriam depois Dele, está comprovado tudo o que Ele Dr Salazar previa. São estes que vieram depois Dele Salazar, que nem sequer têm competência para barrer os caminhos por onde Sua Exª o Sr Dr António Oliveira Salazar passasse. Qual é mais bonito de ouvir?Chamarem-te, de Ditador, Inteligente, Competente, e Honesto! Ou de Democrata, Incompetente, Corrupto e Ladrão? Escolham qual destes adjectivos, ficam melhor às pessoas a quem se destinam?

Deixe o seu comentário